segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Ser estrangeira...

Quando vim fazer a minha "aventura" e aterrissei aqui em Roma o que eu mais queria era mudar minha vida! Aprender uma nova cultura, uma língua, fazer novos amigos, entrar no cotidiano dos italianos. Depois de um período e uma difícil adaptação, a diferença cultural e principalmente HUMANA, no sentido das boas vindas aos estrangeiros que temos no nosso país, foi o que mais me afetou.

Posso dizer que hoje estou bem entrosada com a vida italiana mas continuo sofrendo discriminações deles direto! Aqui o racismo aos estrangeiros é muito grande, os italianos estão vendo a população de estrangeiros residentes crescer muito e isto assusta a todos. Dizem que os extra-comunitários, somos chamados assim, roubam os empregos, fazem bagunça, bebem demais (isto em relação aos romenos e polacos) e as mulheres roubam os futuros maridos. Ah! e as crianças de pais estrangeiros, nascidas ou não aqui, estão se misturando demais nas escolas com os pequenos italianos e deveriam ter escolas particulares com a própria cultura (reportagem de 3 dias atrás do jornal local).

Eu sou muito sortuda mesmo porque todas as situações difíceis
que passei nenhuma foi assim traumática e desesperadora. Fui acolhida muito bem na família do meu marido, completamente italiana (ai, roubei um marido de uma italiana), eles me tratam como uma filha e dentro de casa nunca passei por momentos embaraçantes, ao contrario, adoram dizer pra todo mundo que sou brasileira, que os brasileiros falam de um modo doce, que somos alegres e divertidos.

Estes dias eu senti a discriminação nas costas depois de um tempinho tranquila. Eu estou hospedando a minha amiga Daina, italiana, e com ela saio pra procurar uma casinha pra alugar aqui perto de mim e no ultimo mês fomos a quase todas as agências de imóveis e todas as vezes fazem a mesma pergunta: mas ela vai morar com vc? Por que os proprietários não querem alugar casa pra estrangeiros.

Ontem, fomos dar uma volta pelos bairros e descobrimos que a prefeitura com os moradores dos Castelos Romanos,
assim se chama a região, estão fazendo festas nas praças com barraquinhas de comidas e bugigangas e nada melhor que perguntar diretamente para os moradores se tem casas pra alugar e fui metralhada, mesmo usando toda minha simpatia (vai, sou simpática por natureza), todos antes de dizer alguma coisa perguntavam de mim! E minha amiga tinha que dizer, como sempre, que era só pra ela. Na verdade, eu não fico com raiva ou chateada com a situação mas muito pensativa! O importante é que aprendi amar a diferença cultural da minha terra. Ai, ai, quem diria! Sempre soube que éramos muito mais simpáticos, educados e receptivos mas não dava a devida importância! Vivendo e aprendendo!

3 comentários:

Deise Pacheco disse...

Oi,Flávia de clique em clique cheguei ao seu blog, li a respeito do q vc falou sobre os italianos, sim meu marido na década de 60,então oficial da marinha mercante,vivenciou alguns dissabores mas nada q o fizesse ficar triste com a italianada.
O melhor lugar do mundo é aqui...
pena que os brasileiros, estão tornando esse paraíso um inferno. aqui no rio de janeiro está dificil.
de viver, mas vamos com fé em Deus vivendo.adorei seu blog e aproveite
o máximo. Somos o País que mais abraça todos os povos do mundo espero que voce esteja fazendo jus com toda a simpatia que deves ter, Um abraço.Deise

Bete disse...

Olá,Flávia!
Minha prima passou pelo mesmo problema, mas não aguentoi a pressão largou tudo e veio embora.Nossa terra é abençoada e muito acolhedoura.

Veja a proposta abaixo e me diga o que acha e se pode me ajudar a divulgá-la.

Recebi de uma amiga que trabalha no Frei Luiz e achei a idéia muito boa.Que tal?

Queridos amigos,

Que tal fazer algo diferente, este ano, no Natal? Sim
... Natal ...
daqui a pouco ele chega ...
Que tal ir a uma agência dos Correios e pegar uma das
17 milhões de

cartinhas de crianças pobres e ser o Papai ou Mamãe Noel delas?

Fui informada de que tem cada pedido inacreditável. Tem criança
pedindo um panetone, uma blusa de frio para a avó...

Deixo a idéia lançada.

É só pegar a carta e entregar o presente numa agência
do correio até dia 20 de Dezembro.
O próprio correio se encarrega de fazer a entrega.

- DIVULGUEM PARA CONHECIDOS-

Na vida, a gente passa por 3 fases:

- a primeira, quando acreditamos no Papai Noel;

- a segunda, quando deixamos de acreditar e

- a terceira, quando nos tornamos Papai Noel!!!


Bjs!!!

Carolina Arêas disse...

Como alguem pode nao te tratar bem?
Me manda o endereco desta pessoa que vou pessoalmente dar um surra nela, viu?!

Brincadeirinha...

Mas, sim, sempre eh um pouco dificil ser estrangeiro. Sao outras regras, outra cultura, outro comportamento... Mas tb tem um monte de coisa bacana para aproveitar!

O brasileiro eh carinhoso, afetuoso, morro de saudades disso tb.

Mas, e o resto? A falta de respeito que sofremos como cidadaos. A violencia. A falta de perspectiva.

Eh, amiga, perde-se por um lado, ganha-se por outro. E vamos vivendo e sendo felizes.

Beijos.